São Paulo de infinitas riquezas

De também misérias, tristezas

Metrópole, motor do Brasil

Pátria que me pariu

Caos da utopia da ordem

Daqueles que querem, mas jamais podem

Desarmonia visual, cotidiana sobrevivência

Paradoxo que une pressa e paciência.

Em suas calçadas, amostra da desigualdade

Agora preciso reconquistar-me à cidade

Voltar para casa. Tudo o que eu queria

Ritmo, poluição, lágrimas, poesia.

RelatedPost